• daquiloquesecome

Arroz Negro.

O cultivo e consumo do arroz é tão importante que compunha parte da identidade cultural de vários povos da África Ocidental.

Segundo Carney "Hoje, em muitas partes da África Ocidental, uma refeição não é considerada uma refeição completa se não for servido arroz". E ainda, "Este cereal figura de modo proeminente nas tradições e em rituais culturais, e a sua "pilagem" para consumo marca mesmo a passagem do tempo, pois o batimento rítmico do pilão contra o almofariz repleto de grãos de arroz anuncia o início de um novo dia em inúmeras aldeias da região". (1)



O "batimento rítmico do pilão contra o almofariz serve como um anúncio de um novo dia. Além do mas, o arroz é seu cultivo requerem saber, labuta e um "sistema de conhecimentos que representa engenhosidade bem como uma enorme labuta".(2) É muito importante observar também que a labuta em torno do arroz é em grande medida um trabalho feminino. Em relatos, imagens e pinturas as mulheres ocupam as cenas centrais dos saberes em torno do cultivo e consumo do arroz. Em relato, de 1793, Samuel Gamble, capitão de navio Negreiro, descreveu o sistema baga de produção de arroz, na Guiné-Conacri nele é possível visualizar a participaçãodas mulheres: "As mulheres e as raparigas trasnplantam o arroz e são hábeis ao ponto de plantar 50 simples raízes num minuto. Quando o arroz está pronto para ser cortado, deixem escoar a água até a colheita acabar, então deixam entrar a água e deixam-na ficar durante três ou quatro estações no terreno que se tinha empobrecido(...)". (3) A divisão do trabalho também possibilita entender que como nos aponta Carney: "representava sistemas especializados de conhecimentos baseados no género". (4)

Na imagem, disponibilizada em seu texto Carney nos apresenta uma mulher africana pilando arroz.

.

.

.

✍🏽📚 Referências.

📸 Judith A. Carney 1987. In: Arroz Africano na História do Novo Mundo. Fronteiras Journal of Social Technological and Environmental Science 6(2):182, Authors:Judith Carney.

September 2017. DOI:10.21664/2238-8869.2017v6i2.p182-197 🔖Qualquer óbice em relação a imagem por favor nos avisar. Uso educacional. (1) (2) (4)Carney, Judith A. Arroz Negro: As origens africanas do cultivo do arroz nas Américas. Trad. José Filipe Fonseca com a colaboração de Gaston Fonseca, Ernesto Fonseca e Nivaldina Fonseca. Instituto da Biodiversidade e das áreas protegidas. Bissau, Guiné-Bissau. 2011, p. 33; 47.

(3) Apud in Carney, op. cit., p. 47.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo